sexta-feira, 6 de dezembro de 2019

COELHOS PET, MINI, ESTIMAÇÃO

NOTA TÉCNICA: Coelhos pet, de estimação, mini, pequenos, anões...
Acaso isso tudo significa a mesma coisa ou não?




Autor: Yuri De Gennaro Jaruche, Zootecnista pela UFMG e Mestrando em Produção de Não-Ruminantes pela UEM, enfoque em Cunicultura.
Endereço de contato: Rua Mandaguarí, n°198, ap.401, Bairro Jardim Universitário, Cidade de Maringá, Paraná (PR)
Celular 1: (031)8456-2654; Celular 2: (044)9839-7976; e-mail: jaruche.y.g@zootecnista.com.br





NÃO! Você pode ter um coelho pet que é de estimação, mas se ele for grande então ele deixa de ser pet mas não de estimação, mas com certeza não é pequeno. Caso tenha um coelho pequeno que não é de estimação, assim mesmo ele é classificado como um pet e ao mesmo tempo é um mini-coelho, mas não é anão, de maneira alguma. Porém, se possuir um coelho anão que também não é de estimação, ainda assim será pet e considerado mini. Agora, um coelho de médio porte, independente se for de estimação ou não, nem sempre será um pet ou um mini e, consecutivamente, não poderá chama-lo de anão, exceto se apelidado de “anão”. Resumindo: nem todo pet é mini, mas todo mini é anão e todo anão é pet porque é mini... Mas não necessariamente precisam ser de estimação, podendo ser pequeno ou não!


Será que você conseguiu entender tudo ou parte do que foi falado acima? Sim!? Parabéns, você entende perfeitamente os conceitos da cunicultura pet e consegue conversar de forma clara sobre esse assunto. Acho que até estou falando com um especialista. Não!? Entendeu apenas parte ou nada disso. Sem problemas! Essa nota técnica foi elaborada justamente para você! Leia com atenção e também entenderá!


Coelho: parece desnecessário escrever isso, mas sempre que alguém estiver expressando-se sobre ‘coelho’, sem especificar-se, por lógica, estarão referindo-se ao animal da espécie “Oryctolagus cuniculus”, coelho domesticado que tem sua origem principal na Europa e que possui 22 pares cromossômicos. Para um entendimento mais simples, são os coelhos domésticos, aqueles encontrados nas feiras agropecuárias, pet shoppings, fazendas, chácaras, sítios, entre tantos outros estabelecimentos. Estes coelhos possuem mais de 50 raças e 150 variedades diferentes. Um coelho pode ser pet, de estimação, mini, pequeno e/ou anão.




Coelho de estimação: por se tratar de um coelho e não especificar a espécie, trata-se do coelho doméstico. Um animal de estimação, também denominado como mascote, é um animal doméstico ou em domesticação, selecionado para o convívio mais íntimo com os seres humanos, sejam por questões de companheirismo ou divertimento.


Isso não significa que essa seja a sua única função em nossa sociedade. Tomemos o cão como exemplo. O cão, na maioria dos lares, é usado quase que exclusivamente como companhia. Sabemos que existem cães de caça, de guarda, de resgate, de transporte, de deficientes, entre outros. Cada raça de cão tem uma ou mais de uma dessas aptidões. O cão da raça Pastor Alemão é um cão com aptidões para protege-nos ou proteger nossa residencia contra mal feitores, sendo assim é considerado como um cão de guarda. Um Pastor Alemão da polícia federal continua sendo de guarda e executa essa função perfeitamente, mas não pode ser considerado de estimação, porque não possui um dono específico, não pode residir junto ao seu tratador e normalmente, não possui aptidão para isso, pois é treinado para combater ladrões e não para brincar com pessoas. Já o seu Pastor Alemão, mesmo executando a tarefa de guarda, ele é considerado de estimação, pois além de possuir você como dono, ele e você residenciam o mesmo estabelecimento e você o reconhece como um colega, amigo ou mesmo membro da família.


Os coelhos seguem a mesma linha de raciocínio. Os coelhos, assim como os cães, possuem aptidões. Aptidão para carne, pele, pelo, reprodução e/ou companhia. Coelhos com aptidão para companhia foram selecionados, única e exclusivamente para residenciarem nos lares familiares como mascotes. Os coelhos sem essa aptidão podem ser animais de companhia, porém, muitos não possuem temperamento dócil nem criam laços afetivos com seus donos. Ainda assim um coelho que têm um dono ou mais, que residencia junto com seu tratador, independente se há um lugar específico para ele ou não, é considerado como um coelho de companhia, tendo ele essa aptidão ou não, pois para ser considerado como de companhia, basta seu dono possuir um vínculo de intimidade maior com seu animal e não necessariamente o inverso. Você pode ter um coelho de estimação de porte gigante, que pesa 12 Kg, com aptidão para reprodução e toda vez que tenta pegá-lo ele lhe arranha. Como outra pessoa pode ter um coelho de porte pequeno ou anão, pesando próximo de 1 Kg e toda vez que ela chega perto do animal, ele corre de encontro para um abraço afável.


IMAGEM ESQUERDA: coelhos domésticos

IMAGEM DIREITA: um coelho doméstico adquirido por uma simpática garotinha. Esse coelho poderá crescer bastante ou pouco. Independente disso, continuará sendo de estimação para ela. Já não podemos afirmar isso quanto aos outros coelhinhos da imagem esquerda.


Maringá – PR, 28 de março de 2013




















sábado, 21 de março de 2015

GALERIA DE FOTOS







Nathaly mandou estas fotos das suas fofurinhas.



Carlos tem este lindo casal: Mel uma Nova Zelândia e o Louier um Borboleta.

 Estes são meus coelhos, a amarela é a Mel e o branco é o Louier (se lê Luie), eles adoram brincar no terreno. Amo muito eles por isso fico o tempo todo os observando para não fugirem para o terreno vizinho.
Sei que a Mel é da raça Nova Zelândia, mas não sei a raça do Louier.


O Jhonny Kheuryth mandou fotos dos seus fofinhos, não são lindos? 


Lú e sua coelhinha Mel são velhas amigas do blog, e nos mandaram novas fotos da sua já crescida família:


Passados três anos, a paixão pelos orelhudos só aumentou e a família cresceu. Aos poucos fui inserindo membros novos e estão em paz.
Já tivemos crias lindas. Uma experiência adorável!
Hoje tenho comigo 8 fêmeas e um macho (este castrado e amputado, pois nasceu com problema genético e é meu filhotinho especial).
Me livrei das gaiolas que davam muito trabalho e construí um "coelhódromo" de 4,50m por 2,20m, cercado por tela e onde coloquei três casinhas de madeira que eu mesma desenhei, mandei construir e pintei. Ficou um amor!
Minha Mel, que foi a primeira, não abre mão da liderança; as vezes uma correria aqui e ali, uns pelos pelos ares, mas nada preocupante.
Teu blog foi muito importante para compreender como lidar com eles e sou extremadamente grata por tua dedicação. Deus abençoe tua vida e teu trabalho!
Grande abraço e tenha excelentes dias.

Lú Albuquerque
Pelotas / RS




Micaela de Aurelino Leal, na Bahia nos mandou esta foto:

Juju é calma, doce e uma ótima companheira de estudos, todas as tardes me acompanha nas leituras rrrrsss!!!






Este espaço é para colocar as fotos de todos os fofinhos dos meus leitores.
Se você quer o seu coelhinho aqui no blog, mande uma foto para lilia_arq-coelhos@yahoo.com.br e mande o nome do bichinho e o seu (só o primeiro nome ou apelido que você goste)

Pode escrever alguma coisa sobre seu fofinho.

As fotos vão sair com as legendas que aparecem nestas fotos.





sábado, 7 de março de 2015

ESTOU DE VOLTA

Depois de um ano longe do blog, estou de volta. Estava com muita saudade dos meus leitores e seus lindos coelhinhos.



Tenho mais de 130 comentários para responder e vai levar muito tempo se respondo um a um, por isso vou deixar algumas respostas prontas que servem para muitos comentários.

1- A maioria das perguntas estão respondidas no próprio blog nas páginas. 

Leia bem antes toda a informação clicando nas abas no topo do blog com as matérias: alimentação, a toca do coelho, reprodução, caraterísticas

2- COELHO DOENTE TEM QUE IR AO VETERINÁRIO

Não perca tempo fazendo perguntas, se suspeita que seu orelhudinho está doente, leve logo ao veterinário, quanto antes, melhor. Os coelhos não demostram que estão doentes as vezes até que é tarde demais.

Eu não sou veterinária nem zootecnista, apenas amo coelhos e fico muito tempo observando e estudando o comportamento deles, por isso posso dar dicas em relação ao cuidado e a relação "pessoa - coelho".

3- O fato de você não ver a coelha amamentar os filhotes, não quer dizer que não os alimente.

As coelhas preferem dar de mamar de noite e quando estão sós e tudo calmo. Elas dão de mamar uma vez ao dia, o resto do dia até fogem dos filhotes se tentam se aproximar, mas é assim mesmo, e os coelhinhos crescem bem.

4- ninho para filhotes pode ser um caixote de madeira, não usem papelão porque a coelha vai picar todinho para fazer um lindo ninho para seus coelhinhos